Conheça um pouco mais sobre o município de Garuva

Garuva 01

 

Você conhece a origem do bairro ou vila onde você mora? O site garuvanet apresenta um pequeno resumo com a origem dos bairro e Vilas que compõe o município de Garuva. Se você tiver informações extras sobre o tema, deixe seu comentário no final da matéria.

 

 

Centro: Zona de comércio principal, área consolidada como centro comercial. Abriga a Prefeitura, a Praça Tancredo de Almeida Neves, a Câmara de Vereadores, o Fórum, a rodoviária, os correios, agências bancárias, a E.E.B. Carmem Seara Leite, o Ginásio de Esportes Silvio de Miranda, o Pré Escolar Dente de Leite, a Creche Municipal João de Deus, a Praça Pedro Ivo Campos entre outros.

 

Giórgia Paula: A denominação foi em homenagem a uma das filhas do ex-prefeito Dórico Paese (In Memorian), líder emancipacionista de Garuva e seu primeiro prefeito eleito. Atualmente, é o bairro mais populoso de Garuva, onde estão localizados o Estádio Municipal Julio de Almeida, o Ginásio de Esportes Evandro Nagel, a maior escola da rede municipal, a Escola Municipal Vicente Vieira, ainda a Creche Municipal Frei José Bertoldi e também uma diversificada ala comercial.

 

Garuva Acima: Possui esse nome devido ao Rio Garuva que corta a localidade. Contam is antigos que há muitos anos, caiu uma árvore de Garuva (origem do nome da cidade), sobre uma parte estreita do rio que servia de ponto de referência para caçadores e pescadores, passando a chamar-se “Garuva Acima”. Até 1963 era conhecida como São João Acima. O bairro fica às margens da BR-101, interligada pela BR-376, entre Garuva e Curitiba, contempla as estradas coloniais “Otto Roder” e “Alfredo Elmer” que margeiam o Rio São João e também a plantação e produção de pupunha reflorestada, renomada na região.

 

Jardim Garuva: Erroneamente conhecida como Habite, em função da empresa loteadora “Habite”. Sua principal rua é a João Reni de Lima Meirelles, que dá acesso ao conhecido Morro da Habite, onde se localiza a torre de transmissão de rádio e TV. Neste Bairro situa-se a Escola de Ensino Fundamental Tancredo de Almeida Neves.

 

Jardim Itamaraty: Segundo o Sr Klaus Nogueira, morador do bairro Itamaraty, seu avô Alfred Hoening, recebeu de herança as terras que hoje fazem parte do referido bairro. O Sr. Alfred juntamente com sua esposa Elza Muller Hoening, uma das primeiras professoras de Garuva e a primeira de origem alemã, vieram para cá , como uma das sessenta famílias de imigrantes alemães, oriundas de Jaraguá do Sul. Seu klaus não forneceu uma data, porém podemos inferir, que isto aconteceu após 1930, pois ele citou que foi logo após a Revolução de Getúlio Vargas.Com a morte do Sr Alfred e também da sua esposa Elza, as terras viraram propriedade da Sra Ruth Hoening, mãe do Sr. Klaus Nogueira. Foi a própria Ruth Hoening que teve a idéia de lotear essas terras. Logo no início percebeu que isto não seria fácil devido a burocracia do processo. No princípio o nome do loteamento seria “Loteamento Ruth Hoening”, no entanto o registro de imóveis rejeitou, por se tratar de um nome próprio de uma pessoa ainda viva. Segundo seu Klaus , nesta hora o sangue alemão que corria nas veias da Dona Ruth, ferveu e irritada ela esbravejou, “então coloca Loteamento Itamaraty, em homenagem ao palácio do Itamaraty, pois não sabia que isso precisava de “tanto luxo” , já me pediram tanta coisa para fazer esse loteamento, que parece o Palácio Itamaraty”.Neste momento surgiu o Jardim Itamaraty. o nome foi aprovado pelo Registro de Imóveis, e hoje o Jardim Itamaraty.

 

LEIA TAMBÉM  Prazo para biometria de eleitores de Garuva encerra no dia 27/10

Jardim Margarida: Homenagem à comerciante Margarida Cidral, matriarca da família proprietária da área loteada em 1993. Dona Margarida era esposa do comerciante José da Costa Cidra, mais conhecido como “Bem Bem”. O bairro localiza-se no antigo posto do Bem Bem que gerou seu apelido.

 

Palmital: Seu Nome é proveniente da quantidade de palmito nativo naquela região. Ostenta o título de localidade-mãe de Garuva, berço da colonização francesa e também, “Berço do Cooperativismo no Brasil”, pensamento filosófico de Charles Fourrier. Situa-se no trajeto que leva ao interior de Garuva e também ao município de Itapoá e São Francisco do Sul.

 

São João Abaixo: Localizado a margem direita do Rio São João, destaca-se pela plantação de banana e arroz, além de possuir portos de areia e a fábrica que produz as famosas bananas passas ao chocolate.

 

Urubuquara: Nome de origem indígena que significa na língua tupi “refúgio dos urubus” ou “pousada dos urubus”, devido à grande quantidade de ninhos da ave existentes nas encostas do Monte Crista. Naquela época, nas escrituras antigas de terras, aparece um ponto de referência denominado “ninho do urubu”, uma pedra enorme ao pé da Serra que pode ser vista até hoje, embora coberta pela vegetação. Fica as margens da BR-101 entre Garuva e Joinville. Neste bairro, situa-se a APAE (Escola Especial Sofia Araújo) e é onde nasce o Distrito Industrial Sul.

 

Localidades

 

Baraharas: Segundo a tradição, sua nomenclatura deriva do nome de uma índia Carijó, filha de um cacique que vivia na região. Tem uma sonoridade voltada ao idioma francês, reminiscência dos primeiros colonizadores. Últimos estudos descobriram que o nome da localidade é proveniente de Maria Barahara (índia que em conformidade com as lendas, extraia metal áureo da região), mas a origem etimológica da palavra BARAHARA, segundo naturalista francês Saint-Hilaire(1779-1853), a palavra “baraara” (grafia antiga) é proveniente do termo baraara que em Guarani, significa aurora, portanto Maria Aurora. É um local aprazível, composto de pequenas chácaras, desfrutadas por moradores ocasionais que vem passar finais de semana e períodos de férias. Nesta localidade, situa-se a Escola Municipal Duque de Caxias.

 

Barrancos: Esta localidade faz parte da própria história de Garuva, vizinha do Palmital, tendo vivido período áureo nos tempos da colonização da região, seu nome origina-se do trapiche local que ficava anexado a um enorme barranco. É banhado pela Baía do Palmital e pelo Rio Barrancos, situando-se num corredor que leva ao interior de Garuva, bem como, aos municípios de Itapoá e São Francisco do Sul.

 

Bom Futuro: Antigamente era conhecido por “chiqueiro” pela abundância de porcos do mato caçados no local. Segundo a história, um determinado padre teria achado o nome impróprio para uma localidade tão bonita, sendo, portanto, substituído para Bom Futuro. Fica na divisa entre Garuva e Itapoá.

 

Caovi: Seu nome deriva de uma madeira de lei, o Caovi, comum no local. O bairro começou a se desenvolver a margem esquerda do Rio São João, na década de 1950, com a chegada de descendentes italianos, entres estes as famílias Mondini e Conter. Na região há abundância de bananais, arrozais e outras culturas. Pelo Caovi obtêm-se acesso às localidades paranaenses de Pai Paulo e Cubatão, pertencentes ao município de Guaratuba-PR.

 

LEIA TAMBÉM  A CDL Garuva traz para você, a palestra "Pitch de Vendas"

Mina Velha: O nome é decorrente das minas de ouro ali existentes. Seu apogeu foi no início do século passado, chegando a ser muito populoso. Ainda hoje, em propriedades particulares há resquícios das antigas minas. O núcleo populacional fica paralelo à rodovia PR-412 que liga Garuva a Guaratuba-PR. Nesta localidade está a Escola Municipal Iça Mirim.

 

Quiriri: A localidade está separada da sede do município pela serra do Mar, denominada regionalmente por Serra do Quiriri, Serra Feia e Serra do Iquererim (no original indígena), onde se situam as nascentes dos rios São João, Palmital e Quiriri. Para chegar ao Quiriri de Garuva, também conhecido como Alto Quiriri, é necessário passar pela localidade do Rio Bonito e pelo Distrito de Pirabeiraba, Joinville – SC via BR-101 e Estrada Dona Francisca.

 

Rio Turvo: Leva o nome do rio que a atravessa. Encontra-se na divisa de Garuva com Joinville-SC, marginal à BR-101. Caracteriza-se com área essencialmente agrícola.

 

Say Guaçu: Situada as margens da rodovia que liga Garuva a Guaratuba-PR, leva o nome do rio homônimo que passa por seu território. Trata-se de área rural que sobrevive do comércio eventual de artesanato e alimentos à beira da rodovia.

 

Sol Nascente: Seu nome é dedicado ao brilho do sol da manhã. Localidade agrícola na estrada geral, com acesso ao interior de Garuva, ao município de Itapoá-SC e a localidade de Vila da Glória, em São Francisco do Sul-SC.

 

Três Barras: Nome inspirado no rio homônimo que desce da Serra do Mar e desemboca no mar. Na parte inicial é conhecido como Rio Palmital e no trajeto abre-se em três braços, quando recebe o nome Três Barras. É uma localidade histórica, onde se situa a famosa Escadaria dos Jesuítas e o acesso ao Monte Crista. Fica a margem da BR-101, no trajeto Garuva/Joinville. Nesta localidade situa-se a Escola Municipal Ernesto Alberto Hattenhauer e também, compreende a parte de início do Distrito Industrial Sul.

 

VILAS:

 

Vila Trevo: Localizada na base da Serra do Mar, o nome deriva de sua localização, próximo ao trevo de acesso à Garuva. No local situam-se a caixa d’água da CASAN e a Escola Municipal Maria Martins Budal.

 

Vila Verde: Localizada à margens da Estrada Otto Roder, entre o Centro de Garuva e o bairro Garuva Acima(Divisa). Recebe este nome pela exuberância da natureza, onde o verde das matas é orgulho para todos os moradores.

 

Vila Weber: Localizada as margens da Rodovia SC415, no Distrito Industrial Leste, foi criada nas terras pertencente à Família Weber, que no local possuía uma Serraria e uma das primeiras lojas de materiais de construção de Garuva. Homenagem a família Weber, tradicional neste município e inicialmente proprietária do loteamento.

 

{fcomment}

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here